Durante a prática do aikido, é normal ouvir dizer que se deve manter sempre a "mente de principiante". Esta é uma expressão que intriga (pelo menos, me intrigou por anos), uma vez que a maioria de nós, quando iniciante, é bem desajeitada e incapaz de reconhecer a diferença entre um tenkan e um tenshin, por exemplo. Como então, é desejável conservar esse tipo de (falta de) percepção? Não é melhor já saber e ter um grande repertório de conhecimento? Acontece que o principiante não tem ideias preconcebidas e está ávido por aprender. Depois de um tempo, não é incomum que o aikidoca passe a rejeitar tudo o que não lhe é familiar, seja um determinado comportamento ou variação de técnica. Mesmo em pequenos dojos, pode haver instrutores com estilos distintos entre si e até mesmo distinto do próprio sensei mas o que um aluno com "mente de principiante" faz é o mesmo que todos nós fazemos no primeiro dia de aula: treina e tenta absorver o que é lhe ensinado sem a pretensão de "já saber" ou a rejeição do "eu aprendi de outra forma" ou "não gosto desse estilo".

Comments (2)

On 26 de maio de 2009 09:33 , Eduardo Jauch disse...

Obrigado pelo tópico :)

 
On 26 de maio de 2009 23:50 , Soraya disse...

Eu que agradeço pela visita, Eduardo. Seja bem-vindo!