Até os alunos mais entusiasmados, aqueles que vão a todos os eventos do dojo e não passam um dia sem treinar, têm seus dias de preguiça. É aquela vontade de ficar em casa e que, só de pensar em vestir o dogi, já cansa. Abaixo, 10 dicas do que fazer para animar e continuar treinando:

Faça um bom alongamento - as vezes tudo o que o corpo precisa ser acordado bem devagar. No inverno, pensar em chegar no dojo com o corpo frio e entrar no treino de vez fazendo ushiro otoshi destrói as boas intenções de treinar de qualquer pessoa. Vale a pena até chegar mais cedo e fazer um aquecimento individual, usando os exercícios que mais se gosta de executar.
Deixe o material em ordem - a preguiça aumenta consideravelmente se, ao sair para o treino, o hakama ainda tiver de ser dobrado ou o kimono passado. Imagine ainda se tiver de procurar a faixa, a tornozeleira... Manter tudo o que se usa dobrado e pronto dentro da mochila ajuda muito na hora da pressa.

Adequação é tudo - quem gosta de dormir tarde provavelmente vai ter muita preguiça de ir ao treino das 07:00h, por exemplo. Da mesma forma, quem costuma começar o dia muito cedo pode preferir treinar no fim de tarde e não no último horário da noite.

Descanse - tirar um dia a mais para descansar pode trazer uma energia a mais para os treinos. Em alguns momentos, o corpo pede um tempo de pausa, que pode ser simplesmente um dia em casa ou trocar o treino por uma boa caminhada ou pedalada. Lembrando que, se esse tempo for longo, pode ser bem mais difícil voltar, uma vez que mesmo atletas tendem a perder força, flexibilidade e capacidade cardiorrespiratória em pequenos períodos de inatividade.

Mude a rotina -  algo de novo desperta curiosidade e ativa a vontade de treinar.  Que tal fazer um treino com um instrutor diferente ou em um horário alternativo? Instrutores têm diferentes interpretações das técnicas e podem sugerir novas abordagens dos exercícios. Também vale visitar um dojo diferente, ir a um seminário ou koshukai. Mesmo em locais do mesmo estilo ou organização, é possível treinar com pessoas diferentes, fisica e tecnicamente. Algumas técnicas vão funcionar mais fácil, outras mais dificilmente. É inspiração na certa.
Tenha um objetivo - pode ser uma promoção, aprender variações de kumijo ou até aquela técnica que nunca fica boa.
Diminua o ritmo - a falta de entusiasmo pode ser simplesmente um esgotamento físico. Trabalho,  trânsito, filhos e as obrigações do dia podem não estar combinando com uma rotina de treinos de seis dias por semana. Diminuir a carga de treinos por um tempo pode ser suficiente para que o corpo se recupere e volte à ativa com força total.
Tenha um compromisso - "quarta-feira é dia de treino, não posso ir ao cinema" é mais eficiente que "quarta-feira é dia de promoção no cinema, vou ter de faltar". Criar um hábito a prova de deslizes ajuda a evitar que tudo se torne motivo para não ir treinar.

Relaxe - ser tolerante com seu próprio desempenho ajuda a não gerar frustrações. Achar que  se deve executar tudo com perfeição nos primeiros anos de treino não é realista e só desanima quando não se consegue.
Peça ajuda - o sensei ou um colega mais antigo podem ajudar a identificar o que está tirando o entusiasmo pelo treino. Acredite, todos já passaram por isso.

Comments (1)

On 23 de setembro de 2010 20:45 , karen viganó disse...

nossa!!! Faz tempo q num entro aqui!!! Gostei muito das dicas!! É verdade........... às vezes a gente só precisa seguir adiante!! Muito bom Soraya!
inté
Karen